Sobre a cidade de Alto Feliz

A localidade de Alto Feliz nasceu com a criação da “Colônia Feliz”. Os colonizadores alemães, que chegaram no ano de 1846, estabelecendo-se no alto de um morro denominado “Batatenberg” (Morro das Batatas). Lá construíram sua primeira igreja, que se tornaria Paróquia em 1877. Os protestantes ergueram a primeira escola, por volta de 1850, no mesmo núcleo de povoação. Os italianos chegaram após 1865 e estabeleceram-se mais ao norte. As duas etnias são as formadoras do povo de Alto Feliz.

Por volta do ano de 1900, foi construída a estrada Júlio de Castilhos, única via de acesso entre Porto Alegre e a região norte do Estado. A povoação, antes localizada no Morro das Batatas, foi se concentrando ao longo da rodovia, assim deslocando o centro econômico social. Em 20 de março de 1992 a localidade foi elevada a município, desmembrando-se do município de origem, Feliz.

O nome Alto Feliz é originário de “Obern Feliz” (Feliz Alta), utilizado já nos primórdios da colonização e relaciona-se com sua situação geográfica.

A economia é baseada na industria e agropecuária. Na industria se destacam a moveleira, a calçadista e a têxtil. Na agropecuária destacam-se a criação de aves, como galinhas e perus, suínos e gado. Destaca-se ainda a produção de mudas, como uvas, caquis e kiwis, e a produção de hortaliças. O município tem ao todo 630 minifúndios que formam a base de sua economia.

A cidade é conhecida por seus atrativos naturais, como cascatas, morros e vales. Também é possível conhecer a antiga Casa dos Padres Jesuítas, a Capela Santo Inácio da Feliz, e as casas da época colonial.

A estrutura de seus minifúndios e a arquitetura são característicos e em muitos lares ainda se preserva a tradição, a cultura e a língua dos antepassados.